Visitantes online

Nós temos 54 visitantes online

Home Reflexões O Risco de ser criança prodígio
O Risco de ser criança prodígio PDF Imprimir E-mail
Qua, 22 de Novembro de 2017 00:58
Índice do Artigo
O Risco de ser criança prodígio
O
Todas as Páginas

Com certeza você conhece alguma criança que desenvolveu em certa idade habilidades especiais que eram atribuídos a adultos, pois bem, esses são conhecidos como prodígios. São crianças que não podemos subestimar e que em certa idade tem uma capacidade admirável.

O menino ou a menina prodígio recebem sempre elogios, são vistos sobre tudo, pelos adultos como os queridinhos. Recebem gratificações que lhes alimentam o ego. Entretanto, o tempo passa, e passa veloz e muitos desses prodígios não são avisados sobre isso e aí começam os problemas.


 

Algumas coisas que os prodígios estavam acostumados começam a fazer parte do passado, seja da sua própria capacidade ou das coisas que estavam acostumados a ouvir e receber, a partir daí ser menino ou menina prodígio pode ser tornar um pesadelo, se não for bem administrado. O que antes era algo louvável pode se tornar uma derrocada.

Como evitar que a criança prodígio não venha adoecer emocionalmente e enfrente os desafios da vida sem se perder no caminho. Em primeiro lugar, a criança prodígio deve ser criada sempre na perspectiva que um dia ela vai crescer. Não se pode encucar na mente da criança que ela vai continuar sendo sempre uma infante, a criança deve receber instrução dos seus pais, responsáveis e familiares que ela está crescendo e nem sempre haverá espaço para continuar sendo criança.

Em segundo lugar, a criança prodígio deve ser criada na perspectiva que não se vive apenas dos elogios. Deve ser ensinadas que não será sempre que ouvirá as pessoas dizendo: Olha que bonitinho, olha que linda. Diante de muitas situações, vai ter que lidar com o ostracismo, com o desprezo, com os erros e equívocos do próprio ser. Vai receber críticas e também deverá aprender a ouvir não. As críticas construtivas fazem crescer e a criança deve ser ensinada a recebe-las e digeri-las.

Em terceiro lugar, a criança prodígio deve ser criada com a perspectiva que nem tudo se faz porque gosta, mas sim, porque também é responsável. Todas as pessoas fazem algumas coisas no dia a dia que se pudessem escolher não o fariam. Poderíamos enumera diversas, mas fato é que fazem, porque são responsáveis na sociedade em que vivem. Desde do convívio familiar a um ambiente de trabalho. Ensinar isso, para uma criança é extremamente importante porque depois que cresce pode se tornar uma pessoa frustrada, desencorajada e amargurada pelo simples fato de ter o dever de assumir responsabilidades e honrá-las até o fim.

Por último, a criança prodígio deve ser criada com a perspectiva que não pode permanecer prisioneira do próprio passado. A considerar que o passado só existe de modo subjetivo, nas lembranças e recordações, a criança poderá ser ensinada que nunca é tarde para se libertar dos enganos e das ilusões. Algumas coisas serviram para a formação mas outras, devem ser apenas uma história para ser contada.

Crescer é preciso, porque o risco de ser prodígio é não perceber que a vida está passando e que muitas coisas que poderiam ser vividas de maneira plena,  são desperdiçadas porque não percebeu que cresceu e a vida está diante de cada um exigindo que possamos ter atitudes e nos tornemos responsáveis.

Paz seja conosco!

 

Pr. André Santos


Última atualização em Qua, 22 de Novembro de 2017 03:17
 

Invista em nosso chamado

Fan Page